Mergulhos...

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Maurícias

Ao fim de uns anitos, e com dois juniores na família, lá conseguimos fazer mais deste hobbie que adoramos.
Um hotel agradável, os avós a tomarem conta dos pequenos nas manhãs de mergulho e a Paulinha a fazer o "advanced".


A escola, OK, pessoal porreiro como sempre encontrei nestes locais, mas os mergulhos "comerciais". Ali perto para serem rapidos, sem preocupações se mais longe, poderia haver melhor. E quase todos aceitáveis, mas um local, um deles, realmente fantástico.
Fomos lá duas vezes: a primeira em grupo e a segunda, eu a Paulinha, o DMaster e os "nativos" abaixo nos filmes. Já lá volto.

Dos outros spots, ok, engraçados. Peixes tropicais, pouca corrente, visibilidade aceitável (menor que a esperada para o Índico). Um dia fantástico com a Paula com um "puffer fish" na mão, outro dia diferente a acabarmos rodeados de alforrecas, felizmente pouco "picantes". E outro a ver a união dos pequeninos para se defenderem.
E do especial, St Jaques: o primeiro mergulho, com mais companhia, alguma corrente e uns tubarões aqui e ali a fugirem rapidamente. A fotografia nem se vê à excepção de um contorno mais longínquo (e já prometi trocar a maquina já com 7 anos, para uma próxima actividade subaquatica). video
O segundo mergulho: entrámos a uns 7m muito calmos, ainda por cima do atol (o mergulho faz-se na zona de saída para o mar aberto). Quando chegamos ao local de "entrada", começamos a baixar para os 12-15m no meio do coral e literalmente arrastados pela corrente; parar era impossível, mesmo no meio da ravina; era descer e "desviar" dos obstaculos, levados por aquela corrente quente e forte (o DMaster já nos tinha dito que este mergulho iria ser uma "roller-coaster"). videoAcreditem que só me lembrava da música do apocalipse now, no assalto dos helicópteros (sim, o filme é muito mais antigo que eu, mas ainda o vi :).
Quando chegámos acima, extasiados com o mergulho, a Paulinha só me dizia que aquela entrada parecia um jogo de computador a desviarmo-nos das formações rochosas pejadas de corais.
Quando acalmou a descida, chegámos a um plateau onde ficámos uns 5 minutos, 20m, com as vistas que aqui partilho. DO MLEHOR QUE JÁ FIZ. Curiosos, vinham relativamente perto e eram uns 10, entre grey reef's e white tip's, acompanhados por umas 5 eagle rays. LOUCURA.
Depois foram embora, e continuámos o mergulho. Mais uns 10 min e apareceu por cima, a uns 10m, um Bull. Só para a despedida.
Apesar de termos mais dias para o fazer, decidi fechar com este. Dificilmente iria superá-lo.

video video

video video

domingo, junho 01, 2008

Cabo Verde, parte II

Como destino de mergulho, Cabo Verde é sem dúvida, um destino fantástico. Ms antes de ir, aconselhamos qualquer pessoa a negociar com as escolas os mergulhos a fazer (e já agora, os euros).


Na viagem dos 50+Iva da Bé, optou a família por este destino por estar "á mão" para todos e porque tem mergulho.


Pois é verdade, mas quando lá fui há 9 anos (quando comecei nesta coisa do mergulho), o turismo não estava tão desenvolvido e provavelmente por isso, era mais facil às escolas escolherem os locais mais interessantes, mesmo que isso implicasse deslocações mais longas, entradas mais arriscadas (como é o caso da Buracona by land) ou correntes mais fortes.


Agora e tal como em tantos outros destinos de mergulho, as escolas ficam-se pelo que está mais perto, sem riscos desnecessários. Claro que para quem faz 10 ou 20 mergulhos por ano, também está bem. Mas para quem quer aquele extra especial que fazem valer as férias, menos assim será.


De qualquer forma, a escola "que nos calhou" no hotel fazia valer em simpatia e condições o que faltou em quase todos os mergulhos: o ir um pouco mais além (principalmente quando se conhece a área).


Dos que fizémos, de realçar Tchu Klassa (já o era há 9 anos), 3 grutas (not bad) e pontinha. O resto, nem por isso. Parece que o Boris também é bom, mas não o fizémos. Os que ficaram por fazer (desta vez e para quem lá quer ir): Buracona, Bera Preto, Bera D'Coral e Cavala. Aqui ficam alguns poucos registos. Já agora, se alguém souber o que é aquele "globo amarelo", gostaria de informação (martipaula@gmail.com).


Da fauna, a quantidade, as aranhas, as lagostas, as raias, as moreias que parecem do entroncamento, os nudibranquios e that's it. No sharks, no turtles, no mantas....


sexta-feira, abril 07, 2006

S. Tomé

Como repararam no texto correspondente à Viagem a S. Tomé, as férias não foram exactamente como esperávamos. E o mergulho não foi excepção. Águas limpas, quentes, que convidavam a imersão prolongada e relaxante, ainda que com o mar a bater em vagas de 2m, para não nos esquecermos que estávamos no meio do Oceano.
Mas a vida marinha detectada "under", ficou aquém das (nossas) expectativas. Depois de ter conhecido Cabo Verde, esperávamos, pelo menos, igualdade na diversidade e quantidade da flora e fauna subaquáticas. Mas assim não foi. O fundo é rochoso mas com muita areia e, pelo que nos explicaram, as águas são transparentes pela falta de plâncton e outros alimentos, que naturalmente não suportam o ciclo de vida esperado. Contrariamente ao Príncipe, onde não fomos, desta vez. S. Tomé é um destino de mergulho a não repetir. Ele há tantos outros por aí e bem melhores seguramente. Até esses mergulhos, fica este registo e a saudade de mergulhar, actividade que agora estou proibido de fazer... mas não por muito mais tempo, espero.
Aqui ficam algumas fotos. Faltou uma Tartaruga que viu a Paula e um veleiro que vimos fora de água, apanhado numa canoa de um pescador.
Até lá.

quinta-feira, outubro 20, 2005

Fernando de Noronha

Um spot fantástico para férias em geral, e de mergulho em particular. Uma onda muito light, pessoal muito "cool" e amigável, um mar maravilhoso de temperatura, visibilidade e vida.
Algumas das fotos que conseguimos, under water:

Um peixe porco desconfiado...


Uma solha do SCP...


A saída de uma gruta, casa de um mero gigante (que fugiu da foto!)...


Um caranguejo.... vivo...


Também há palhaçada lá de baixo (Juarez, Paula e Inês)


Lagosta... também viva...


Uma imagem incrível: 2 eagle rays


A Tartaruga a fugir da "tubaroa"...


A Martinha e o início....


Mas quem é este?


No meio de um "noturno"...


Um amiguinho...

Intro

Ola Ola...
Criámos este espaço para podermos dar a conhecer os locais que vamos visitando, abaixo da linha do horizonte.
Para podermos, por um momentito, tentar que sintam aquilo que nos faz mergulhar.
É realmente uma actividade única, daquelas que nos fazem MESMO esquecer o quotidiano e carregar bem as baterias para mais desafios, rotineiros ou não. Afinal, o que queremos quando vamos de férias, senão isso mesmo?

A quem quiser partilhar connosco o mesmo tipo de sensações, força. Escrevam para neggygaspar@snet.co.ao ou martipaula@gmail.com que teremos todo o prazer em enviar o convite para.

Paula e Nuno